[TVDi] Record e Brasscom querem multiprogramação e interatividade no SeAC

Record e Brasscom querem multiprogramação e interatividade no SeAC

O entendimento é de que os avanços do sistema de TV digital não podem ser suprimidos na TV paga

Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) quer que as prestadoras de TV por assinatura, de qualquer tecnologia, sejam obrigadas a manter a interatividade, hoje já presente em várias geradoras locais em diversas capitais do país. A reivindicação foi apresentada pela entidade na consulta pública da proposta de regulamento do Serviço de Acesso Condicionado (SeAC), concluída ontem pela Anatel. Segundo a associação, atualmente as prestadoras de TVC, MMDS, DTH e TVA estão discriminando o conteúdo dos canais de programação das emissoras que já usam a transmissão digital ao removerem dos sinais destes canais o conteúdo interativo.

A Brasscom sustenta que as indústrias brasileiras de software e de equipamentos já colocaram no mercado vários modelos de TVs dotados dos recursos de interatividade. “São exemplos que demonstram não haver restrições tecnológicas, nem de circuitos eletrônicos, nem de softwares, para que a adoção da interatividade”. Para a entidade, isso indica que a adoção desses recursos pelas prestadoras do SeAC não só é viável como unifica a oferta desses conteúdos para diversas camadas da sociedade brasileira, sem discriminação.

A Record, por sua vez, defende a utilização da multiprogramação disponível no sistema de TV digital brasileiro, no SeAC. “Segundo o conceito de carregamento obrigatório, os sinais de áudio e vídeo deverão ser carregados sem qualquer supressão. Sendo assim, a multiprogramação, por este prisma, deverá ser transmitida fidedigna e integralmente. Pela ausência de qualquer nota em todo o regulamento sob consulta que afirme esta obrigação, pede-se a inclusão do dever de carregamento da multiprogramação”, avalia a emissora.

Fonte:

http://telesintese.com.br/index.php/plantao/18361-record-e-brasscom-querem-multiprogramacao-e-interatividade-no-seac

Novas versões: Ginga e Ginga-NCL Virtual Set-top Box (v.0.12.3)

Está disponível a nova versão do código aberto Ginga C++ (v.0.12.3), bem como do Ginga-NCL Virtual Set-top Box (v.0.12.3). Usuários de versões anteriores são fortemente recomendados a fazer a atualização.
Dicas sobre como obter e compilar o Ginga C++ podem ser encontradas aqui: http://svn.softwarepublico.gov.br/trac/ginga/wiki/Building_Wiki_GingaNCL
Entre as principais novidades da versão 0.12.3 estão:
1) Sintonia de canais
a. Suporte a canais RTP unicast e multicast foi implementado
b. Suporte a definição de canais por um arquivo TS local mais estável

2) Aderência às normas ITU-T e ABNT
a. Suporte a apresentação distribuída (comunicação com dispositivos passivos e ativos)
b. Suporte a transparência em objetos NCL embutidos em um documento NCL foi implementado
c. Suporte a busca de objetos remotos por streaming (http e rtp) foi implementado
d. Palavra reservada para transparência era tratada como opacidade. A funcionalidade foi atualizada para respeitar as normas. Agora, por exemplo, definir 30% de transparência significa que o objeto será apresentado com 70% de opacidade
A lista completa de atualizações feitas no código pode ser encontrada no log dos projetos.
Como vocês sabem, o Ginga-NCL Virtual Set-top Box é uma máquina virtual VMWare com sistema Linux instalado e pré-configurado com todos os requisitos do Ginga (C++). Pode ser obtido por meio da SubComunidade Ginga-NCL, no box “Direto ao Ginga”. Lá vocês encontram também um “HOW-TO” com dicas para instalar e operar o Ginga-NCL Virtual Set-top Box.
Entre as principais novidades do Ginga-NCL Virtual Set-top Box está a nova resolução para simular dispositivos portáteis e o suporte a apresentação distribuída de um documento NCL (uma máquina virtual pode ser instanciada como base enquanto outras máquinas são instanciadas como dispositivos passivos ou ativos).
Comentários, dúvidas e sugestões são muito bem-vindos e devem ser enviados por meio do fórum específico para discussões em torno do Virtual Set-top Box na Comunidade Ginga.
Comunidade Ginga
http://www.softwarepublico.gov.br/dotlrn/register?community_id=1101545&referer=/dotlrn/clubs/ginga/
SubComunidade Ginga-NCL
http://www.softwarepublico.gov.br/dotlrn/clubs/ginga/register?community_id=1160871&referer=/dotlrn/clubs/ginga/gingancl

aplicativo da Dataprev para TV digital

Programa permite acesso a serviços da Previdência Social usando apenas o controle remoto

A Dataprev já tem pronto aplicativo de serviços interativos da Previdência Social por meio da TV digital. O programa já foi testado no canal da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) em Brasília e pode ser implantado definitivamente após assinatura de termo de cooperação técnica entre os dois órgãos públicos. Pelo aplicativo, os cidadãos podem consultar tabelas de pagamentos de benefícios e de contribuição à Previdência Social, a localização, pelo CEP da residência do usuário, da agência mais próxima e ter acesso ao Twitter do órgão.

Segundo o analista de TI, Marco Munhoz, gestor do projeto “TV Digital – Social” da Dataprev, o próximo passo será o desenvolvimento do agendamento 21 tipos de serviços diferentes da Previdência usando apenas o controle remoto. Atualmente, esse agendamento só pode ser feito pessoalmente ou por ligação telefônica para o número 135, ambos com custos para os usuários. A previsão é de que a nova facilidade esteja em funcionamento a partir de 2012.

O problema para o pleno funcionamento do aplicativo consiste na ainda baixa oferta de aparelhos de televisão e conversores (set-top boxes) com o middleware Ginga embarcado. Além disso, o televisor e o conversor precisam ter acesso à internet, garantindo o canal de retorno para os usuários. “A notícia é de que apenas um milhão de aparelhos com essas especificações foram vendidos até agora”, lamenta Munhoz.

Munhoz acredita que a inclusão da obrigatoriedade da implantação do Ginga no Processo Produtivo Básico (PPB) dos televisores vai acelerar a interatividade na TV digital brasileira. Porém, essa medida ainda aguarda uma decisão do governo. Enquanto isso, os fabricantes resistem em embarcar o middleware, interessados em entrar no mercado de conteúdo por meio de aplicativos próprios.

O sistema da Dataprev foi premiado em dois grande eventos em 2010, no concurso latino-americano de Conteúdo para TV Interativa, realizado pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC) durante o II Workshop de TV Digital Interativa (WTVDI / WebMedia 2010) e como melhor produto no concurso de inovação da Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET).

O aplicativo da Dataprev é o primeiro desenvolvimento próprio de um órgão público na interatividade. E saiu quase de graça, como afirma Munhoz. Foram feitos investimentos apenas na equipe, formada por Munhoz e mais três integrantes. “Os R$ 200 mil previstos para implantação de um laboratório foram adiados porque usamos a estrutura da EBC”, disse o gestor do projeto.

Fonte: http://www.telesintese.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=18287:ja-esta-pronto-aplicativo-da-dataprev-para-tv-digital&catid=13:plantao&Itemid=1126

O Papel da Tecnologia da Informação na reengenharia

Uma das estratégias competitivas mais populares atualmente é a reengenharia de processos empresariais, quase sempre chamada simplesmente de reengenharia. A reengenharia (BPR) é a reformulação fundamental e reestruturação radical dos processos empresariais para obter melhorias drásticas no custo, qualidade, velocidade e atendimento. A BPR combina uma estratégia de promoção da inovação empresarial com uma estratégia de realização de melhorias importantes nos processos empresariais de forma que a empresa possa se tornar uma concorrente mais forte e mais eficaz no mercado.

O retorno potencial da reengenharia é alto, mas também são altos seu nível de risco e perturbação do ambiente organizacional.

O Papel da Tecnologia da Informação

A tecnologia da informação desempenha um papel importante na reengenharia de processos empresariais. A velocidade, a capacidade de processamento das informações e a fácil utilização do hardware, software e das redes de computadores modernos podem aumentar drasticamente a eficiência dos processos empresariais e as comunicações e a colaboração entre as pessoas responsáveis por seu funcionamento e administração.

Melhorando a Qualidade Empresarial

Nenhuma abordagem única para a mudança organizacional é apropriada para todas as circunstâncias. Uma importante investida estratégica é a melhoria contínua da qualidade, popularmente conhecida como gestão da qualidade total (TQM). Antes da TQM, a qualidade era definida como o cumprimento de padrões ou especificações estabelecidos para um produto ou serviço. Os programas estatísticos de controle de qualidade eram usados para medir e corrigir quaisquer desvios em relação aos padrões.

Gestão da Qualidade Total

A qualidade é definida como a consecução ou superação dos requisitos e expectativas dos clientes em relação a um produto ou serviço. Isto pode envolver muitas características e atributos, tais como:

  • Desempenho
  • Confiabilidade
  • Durabilidade
  • Sensibilidade
  • Estética
  • Reputação

A gestão da qualidade total utiliza uma multiplicidade de ferramentas e métodos para buscar o aprimoramento contínuo da qualidade, produtividade, flexibilidade, oportunidade e sensibilidade ao cliente.

De acordo com o guru da qualidade, Richard Schonberger, as empresas que utilizam a TQM estão envolvidas em:

  • Qualidade do produto ou serviço ainda melhor, mais atraente e menos variável.
  • Resposta ainda mais rápida e menos variável – desde o desenho e desenvolvimento, passando pelos canais de fornecimento e vendas, escritórios e fábricas, até o usuário final.
  • Flexibilidade ainda maior no ajuste à mudança nas necessidades de volume e composição por parte dos clientes.
  • Custo ainda menor por meio da melhoria da qualidade, redução da reelaboração e eliminação de desperdício sem valor adicionado.

Tornando-se um Concorrente Ágil:

Agilidade no desempenho competitivo é a capacidade de uma empresa de prosperar em mercados mundiais em rápida transformação e constante fragmentação para produtos e serviços de alta qualidade e desempenho e configurados para o cliente. Uma empresa ágil pode:

  • Obter lucro em mercados com classes amplas de produtos e tempos de vida de modelo curto [short model lifetimes].
  • Processar pedidos em tamanhos de lote arbitrários
  • Oferecer produtos individualizados mantendo, ao mesmo tempo, volumes elevados de produção.

Empresas ágeis dependem muito da tecnologia da informação para:

  • Enriquecer seus clientes com soluções personalizadas para suas necessidades.
  • Cooperar com outras empresas para levar produtos ao mercado da maneira mais rápida e econômica possível.
  • Combinar as estruturas organizacionais múltiplas e flexíveis que utiliza.
  • Aproveitar o impacto competitivo de seu pessoal e dos recursos de informações.

Portanto a  TI é um requisito estratégico para o desenvolvimento e entrega de produtos ágeis. Os sistemas de informação fornecem as informações de que as pessoas necessitam para apoiar operações ágeis, bem como as informações embutidas em produtos e serviços.

 

Até a próxima,

[]´s

Prof. Julio

Nova versão do Virtual Set-top Box Ginga-NCL (v.0.12.1)

Segundo a comunidade Ginga: “Está disponível a partir de hoje a nova versão do Ginga-NCLVirtual Set-top Box (v.0.12.1), atualizado com o código mais recente do Ginga-NCL (C++) v.0.12.1 (rev. 34), mais estável e mais aderente às normas (detalhes das melhorias serão divulgados em breve). Usuários de versões anteriores são fortemente recomendados a fazer a atualização.”

De todas as mudanças, pode-se destacar a tela de boot da máquina virtual, pois agora nos permite usar 6 diferentes tipos de resolução. Isto é importante pois não tinhamos como colocar uma resoulção em 16:9 o que agora é possível, basta apenas atualizar a versão do VMware Player.

Vamos testar esta nova versão e depois retornaremos para vocês.

[]´s

Prof. Julio

TV digital: três anos no ar, avanços e ajustes…

Segundo Lúcia Berbert para o portal Telesintese: “Imagens de alta definição já são transmitidas em 49 cidades, que congregam 40% da população. Porém, conversor barato e interatividade ficam devendo. As transmissões da TV digital no Brasil completam três anos nesta quinta-feira com avanços significativos, mas ainda restam problemas a serem equacionados para que mais brasileiros tenham acesso às imagens em alta definição da TV aberta e aos benefícios da interatividade.”

Este é um tema um pouco complexo para se afirmar que a interatividade fica devendo, segundo o acompanhamento que venho tendo em vista de participar desta revolução da TV Digital desde a escolha do padrão japonês, posso afirmar, que a interatividade não deve nada.

O Principal problema que podemos observar é a pouca oferta dos receptores com o ginga completo (Ginga-J e Ginga-NCL), o que atrapalha o andamento dos estudos e desenvolvimentos de aplicativos por parte das emissoras, agências de marketing e desenvolvedores.

Nada disto é item impeditivo para o desenvolvimento de aplicações interativas, em vista de possuirmos alguns ambientes para o estudo, como é o caso do Proview que nos dá o Ginga-NCL, a Visiontech com o middleware FULL em seu receptor e a TV LG com o middleware completo também. Não dá para dizer que são totalmente funcionais, pois ambos possuem alguns acertos a serem feitos, mas é possível criarmos grandes aplicativos e verificar como ficaria se fosse transmitido.

Existem várias outras empresas que estão correndo contra o tempo para criar outros receptores, e middleware´s que sejam compatíveis 100% com a norma e que sejam funcionais, como é o caso do grupo da RCASOFT e EITV.

Possuimos também hoje a possibilidade de participar de vários cursos de aperfeiçoamento e aprendizado, como os cursos de TV Digital da RCASOFT, IETV (Instituto de Estudos de Televisão), Portal educação e outros que podemos ver no link: http://computerworld.uol.com.br/telecom/2007/07/06/idgnoticia.2007-07-06.4724998480/

Resumindo, as aplicações interativas estão apenas no aguardo de conteúdos “casados” e da disponibilização maciça de receptores com a interatividade por completo.

Até mais.

[]´s

Prof Julio

TV Digital: Fórum SBTVD reelege maioria dos conselheiros

O Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital, entidade sem fins lucrativos, criada com o objetivo de auxiliar e estimular a criação e melhoria do sistema de transmissão e recepção de sons e imagens digitais no Brasil, reelegeu, por unanimidade, 10 dos 13 conselheiros que darão sequência aos trabalhos desenvolvidos até então. O novo mandato do Conselho Deliberativo se estende até novembro de 2012.

A nova composição mantém praticamente a mesma estrutura daquela que esteve à frente do Fórum durante os últimos dois anos, com apenas três modificações: saem David Britto (software), Walter Izidro Duran (recepção) e Almir Ferreira da Silva (transmissão) e entram Silvio Mota (software), Aguinaldo Silva (recepção) e José Marcos Martins Freire (transmissão).

Completam a formação do novo Conselho Deliberativo, pela área de radiodifusão, Roberto Dias Lima e Franco, José Marcelo do Amaral, Fernando Mattoso Bittencourt Filho e Frederico Nogueira e Silva (indústria de radiodifusão); pela indústria de recepção, Carlos Goya, Dilson Suplicy Funaro e Roberto Mello Barbieri; pela indústria de transmissão, Carlos Fructuoso; pela academia Guido Lemos de Souza Filho e Marcelo Knorich Zuffo; e pela área de software, Silvio Mota.

A primeira missão do novo Conselho Deliberativo será a escolha do novo presidente da entidade, em reunião marcada para o dia 13 de dezembro. O mandato irá até novembro de 2012. Há uma expectativa grande de que o cargo continue a ser ocupado por um representante da área de radiodifusão.

O Fórum SBTVD já sabe quem serão também os integrantes do Conselho Fiscal nos próximos dois anos. São eles: José Carlos Anguita (indústria de radiodifusão), José Goutier Rodrigues (indústria de recepção), Jorge Alberto Ganuza (indústria de transmissão), Gunnar Bedicks Júnior (Academia) e Günter Herweg (software) tomam a frente da gestão.

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/blog/circuito/2010/11/23/tv-digital-forum-sbtvd-reelege-maioria-dos-conselheiros/

Padrão europeu supera o SBTVD na África

O DVB, da Europa, levou vantagem sobre o SBTVD, padrão nipo-brasileiro, na África, mas a batalha não foi perdida. O ISDB-T fincou os pés naquele continente ao obter o endosso de três países – Moçambique, Angola e Botsuana.

Em decisão anunciada nesta terça-feira, 23/11, depois de dois dias de reuniões – de técnicos e ministros – a Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral bateu o martelo e endossou a primeira opção já feita pelo padrão europeu, em 2006.

A comunidade vai recomendar aos seus 14 membros que adotem o padrão europeu de TV digital (DVB 2), mas deixa a decisão final para cada país individualmente. A decisão – apesar de contrariar os planos do governo do Brasil e do Japão, que apostavam numa reversão de tendência em função dos bons resultados técnicos do padrão nipo-brasileiro – não foi encarada como uma derrota pela delegação brasileira que acompanhou as discussões, em Lusaka, na Zâmbia.

“É apenas uma recomendação”, diz o assessor especial da Casa Civil, André Barbosa. “Eles (os europeus) vão cantar vitória, mas os nossos apoiadores – Moçambique, Angola e Botsuana – conseguiram manter a porta aberta para o padrão nipo-brasileiro, o SBTVD, ISDB-T”, acrescentou em entrevista à Agência Brasil.

A maioria dos integrantes da comunidade: África do Sul, Angola, Botsuana, Congo, Lesoto, Madagascar, Malaui, Ilhas Maurício, Moçambique, Namíbia, Suazilândia, Tanzânia, Zâmbia e Zimbábue sinalizou que deve seguir a recomendação. Mas Barbosa acredita que eles podem mudar de ideia se a União Europeia não cumprir com o apoio prometido.

“O DVB 2 é uma nova versão, que só está em uso na Inglaterra. É muita cara e complexa. O conversor custa hoje por volta de 400 euros, o que é inviável para o usuário africano”, declarou. E nesta aposta entra o plano B, que já tinha sido antecipado por Barbosa ao Convergência Digital: ir de país em país com apoio financeiro e técnico para o uso do SBTVD, estratégia adotada com sucesso na América Latina e Caribe.

Mas fato é que a decisão dos representantes da comunidade da África Astral foi muito influenciada pela maior economia do continente, a África do Sul, que alega já ter feito investimentos desde 2006, quando da primeira sinalização em favor da adoção pelo bloco do padrão europeu, em uma reunião em Genebra (Suíça).

Brasil e Japão já começaram a discutir com seus apoiadores a realização de mais testes de campo. “O uso da tecnologia, na prática, pela população, será decisiva”, afirma Barbosa. “Vamos fazer testes em Maputo (Moçambique), Luanda (Angola) e Gaborone (Botsuana), com set-up boxes (conversores) e celulares”. Japoneses e brasileiros reúnem-se na semana que vem, em Tóquio, para tratar dos próximos passos a serem adotados.

Fonte: http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=24391&sid=8

TV Digital: Colômbia repensa opção pelo DVB e abre frente para o Brasil

Desgastado com a União Europeia que prometeu, mas não repassou US$ 40 milhões para a Colômbia para assegurar a adoção do DVB, como padrão para a TV digital, o ministro da Tecnologia da Informação e Comunicação, Diego Molano, revelou ao jornal Evaluamos, que pode, sim, ‘repensar’ a opção e se juntar aos demais países da América Latina no uso do SBTVD.

Expectativa é que o Brasil/Japão ofereçam os mesmos US$ 60 milhões que serão dedicados ao Uruguai, para o início de uma negociação. A Colômbia possui,hoje, mais de 42 milhões de habitantes – ante os pouco mais de 3,4 milhões do Uruguai, se tornando bastante atrativo para os negócios na TV Digital.

Os recursos prometidos pela União Europeia pela adoção do DVB na Colômbia deveriam ter sido entregues há mais de um ano, mas a crise econômica mundial afetou o cronograma e, até o momento, não houve repasses de recursos. O tema será tratado em uma reunião, agendada para esta semana, em Bruxelas, com a vice-presidente da Comissão Europeia, Neelie Kroes, responsável também pela Agenda Digital da Europa.

Nesse encontro, o ministro colombiano revelará a sua insatisfação. O país enfrentou uma briga com os demais países da América Latina e, até agora, tem sustentado sua posição favorável ao DVB, mesmo com a mudança de curso de outros como o Chile e Argentina, que migraram para o SBTVD. Mas sem dinheiro dos europeus, a Colômbia acena, agora, para o SBTVD, até em função, das oportunidades que o padrão nipo-brasileiro podem gerar em termos de investimentos em TIC.

Fato é que a Comissão Nacional de Televisão da Colômbia nunca formalizou a opção pelo DVB. O que existe é uma medida da junta diretiva da entidade favorável ao padrão europeu, ação que poderia ser revertida por uma decisão governamental.

A postura da Colômbia – que denuncia o não repasse dos recursos da Comunidade Europeia em prol do DVB – ajuda o Brasil do outro lado do continente, uma vez que até o final deste ano, a África também fará a opção entre o DVB e o SBTVD. E nessa matemática, o aporte de recursos é item prioritário.

Fonte: http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=24331&sid=8

Empresa lança aplicativo para acessar Messenger pela TV

Messenger pode ser usado ao mesmo tempo em que usuário assiste a um programa na TV

A Samsung anunciou nesta quarta-feira que vai levar o mensageiro instantâneo Windows Live Messenger para seus televisores, home theaters e blu-ray players com recurso de conexão à internet.

O software foi desenvolvido em parceria com a Microsoft e permite entrar na conta do Messenger e interagir com contatos. A digitação de mensagens é feita via controle remoto, e o aplicativo pode ser usado ao mesmo tempo que se assiste a um programa na TV, minimizado no canto da tela – como já ocorre no PC.

O Windows Live Messenger funciona nas TVs de LED da Samsung (série C6900, C7000, C8000 e C9000), LCD (C650), Plasma (C7000) e toda linha de Blu-Ray e Home Theater com Blu-Ray. O aplicativo pode ser baixado no Samsung Apps, presente nesses modelos.

Fonte: http://tecnologia.terra.com.br/noticias/0,,OI4784186-EI12882,00-Empresa+lanca+aplicativo+para+acessar+Messenger+pela+TV.html

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.